Como desenvolver turismo sustentável e participativo.

Como podemos desenvolver o turismo sutentável em nossa região?
Diz Otavio demasi que a matéria prima do turismo sustentavel  é o meio-ambiente agregado a criatividade, cultura, mão de obra local e outros, tudo isso aproveitando toda a extrutura local ja exitente e destinada a esse mesmo propósito.

Finaliza demasi “é a galinha dos ovos de ouro – basta cuidar”.
Será que temos em nossas mão “a galinha do ovos de ouro” e estamos jogando ós ovos fora?

Leia o texto e comente:

TURISMO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PARTICIPATIVO

O século 21 busca a sustentabilidade participativa. Vontade política. Organização. Conscientização. Educação. Profissionalização. Legislação fomentadora e norteadora. Crédito cooperativado, com a análise exaustiva de potencialidades, vocações, reciclagem, tecnologia, experimentos científicos, negócios, visando a eficiência econômica, o equibibrio ambiental e a justiça social. O conceito de gestão participativa e integrada, começa nos municípios com a: economia rural sustentável; no desenvolvimento urbano sustentável; na ciência e tecnologia para o desenvolvimento sustentável; em sustentabilidade nos projetos de infra-estrutura econômica e social; passando pela gestão profissional dos recursos naturais, históricos, arquitetônicos, paisagísticos e desaguando na redução das desigualdades sociais, culturais e educacionais. O meio-ambiente é a matéria-prima do turismo, sendo a alavanca econômica que utiliza a mão de obra local, criatividade, cultura, aspectos diferenciais e motivacionais, atraindo fluxos e entrada de divisas com ampla redistribuição de renda, através de amplos roteiros. Sem exaurir tipos de negócios, relaciono áreas de atuação: turismo receptivo: hospedagem, gastronomia, eventos, animação, locação de veículos, transportes diversos, compras, passeios, roteiros, serviços (cabelereiro, manicure, pedicure) outros; turismo de negócios: feiras, congresso, visitas técnicoas, missões comerciais, simpósios, outros; turismo cultural: teatro, cinema, galeria, folclore, artesanato, numismática, heráldica, filatelia, poesia, circo, artes plásticas, carnaval, literatura, arquitetura, ciência, tecnologia, biblioteca, pinacoteca, aquário, botânico, horto, zôo, centro de documentação, instituto histórico/geográfico/geológico, ópera, dança, outros; turismo esportivo: mais de 50 modalidades conhecidas (terra, ar, água) gerando eventos, negócios, fluxos, atletas, entidades, patrocinadores, prestadores de serviços, fabricantes, atacadistas, fornecedores, mídias, outros; turismo religioso: romaria, caminhadas de fé, conventos, seminários, retiros, arte sacra, música, corais, igrejas, souvenirs, livros, outros; turismo termal: spa, talossoterapia, creno-climatologia, hidrotermalismo, terapias alternativas, outros; turismo rural: hospedagem, alimentação (geléia, compota, vinho, cachaça, mel, embutidos, queijos, etc.) locações diversas (charretes, cavalos, pedalinho,etc.) eventos, educação ambiental, psicultura, fruticultura, floricultura, ranicultura, aguicultura, condomínio, criação de animais de pequeno porte/silvestres, farmacologia (ervas, raízes, folhas, cosméticos) outros; turismo ecológico: estação ecológica, reserva biológica, parque nacional, monumento natural, refúgio de vida silvestre, área de proteção ambiental, área relevante de interesse ecológico, floresta nacional, reserva extrativista, reserva de fauna, reserva de desenvolvimento sustentável, reserva particular natural, caminhadas, trilhas, espeleologia, arqueologia, hidrologia, geologia, topografia, safári fotogrático, observação de aves, baleias, hotel de selva, acampamentos, pesqueiros, eventos, pesquisa, outros.
Na esteira agregadora, traz consigo as áreas de comunicação, marketing, propaganda, relações públicas, fotografia, informática, gráfica, automotivo, comércio em geral, construção civil – é a galinha dos ovos de ouro – basta cuidar.
Um texto de  Otávio Demasi

Quem é Otavio Demasi :
 
É consultor de turismo e jornalista (Mtb 32.548). Autor do “Manual de Conscientização Turística”, há 40 anos percorre o Brasil, tendo ministrado cursos, treinamentos, palestras e eventos em geral para empresas, ONGs, munícipios e estados.
Na vida pública atuou em assessorias de turismo e comunicação nas prefeituras de Águas de Lindóia/SP, Ubatuba/SP, Goiânia/GO, São Sebastião/SP, São Paulo/SP e também junto a Paulistur e Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

Um comentário em “Como desenvolver turismo sustentável e participativo.

  • 18 de fevereiro de 2011 em 17:46
    Permalink

    PRESERVAR NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS É A MELHOR FORMA DE PRODUZIR RIQUEZAS PARA O NOSSO PAÍS.

    Resposta

Deixe seu comentário aqui.